Overview | Blog

Privacidade de dados e marketing digital: principais desafios

15/02/2022 14:20:24

  • Compatilhe:

A privacidade de dados sempre foi um grande dilema na internet: até onde as empresas podem chegar para usar suas informações? Motivada por debates como esse, a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) foi criada.


Porém, com a maior proteção aos dados dos usuários, também cresceu a dificuldade em fazer um marketing certeiro para os clientes por parte das empresas, já que essas informações eram usadas para fazer propaganda personalizada.


Então, como criar estratégias de marketing digital em meio à proteção e busca pela privacidade de dados?


O que é privacidade de dados no marketing digital?


Por muito tempo, os cookies no navegador eram o jeito com que era possível rastrear os usuários e saber todo o caminho que eles faziam em um site. A partir deste ano, o Google anunciou que irá abandonar, gradualmente, os cookies de terceiros no navegador Chrome.


E o que isso muda na prática?


Desta maneira, assim que uma página é visitada por um usuário, ele precisa aceitar esta rastreabilidade, tornando possível que muitas pessoas neguem esta permissão e, assim, dificultando um pouco a publicidade e os anúncios na internet. 


Existem três tipos de cookies na internet:


  • Cookies zero: aqueles dados compartilhados espontaneamente pelo usuário;
  • Cookies primários: dados coletados por empresas em seus próprios sites;
  • Cookies de terceiros: dados coletados por empresas no site de outras companhias.


Ou seja, o que irá diminuir é a coleta de dados no site de outras empresas. Mas como coletar essas informações sem abusar da privacidade de dados dos usuários?


Privacidade de dados: Google explica o que fazer


Em seu Manual de Crescimento Aliado à Privacidade, o Google propõe três passos para que seja possível criar estratégias de marketing digital sem violar os princípios de privacidade de dados.


São eles:


  • Passo 1: colete dados próprios;
  • Passo 2: mensure os dados com precisão;
  • Passo 3: ative seus dados com automação.


Vamos ver mais sobre eles?


Passo 1: Colete dados próprios


Essa coleta de dados diz respeito às bases de cookie zero ou primárias, ou seja, por meio do compartilhamento espontâneo por parte do usuário (como uma compra num e-commerce, por exemplo) ou por meio de coleta de dados da própria empresa, como formulários, promoções, etc.


Com essa estratégia, é possível criar uma lista de pessoas efetivamente interessadas na sua empresa e no seu produto ou serviço, pois já interagiram com a sua marca em algum momento anterior.


Para que seja possível aumentar o número de pessoas na sua lista, você pode criar uma estratégia de captura de dados próprios, como páginas de promoção com formulários, newsletter, assinaturas, entre outros.


Outro ponto muito importante é ativar a tag global do site, para que o Google possa acompanhar as conversões do Google Ads.


Passo 2: Mensure os dados com precisão


Após a coleta dos dados, é necessário fazer o acompanhamento e a mensuração dessas informações de forma adequada, pois não adiantará nada criar um banco de dados robusto, mas inutilizável.


Por isso, utilizar ferramentas como a tag global do site ajuda você a aumentar a precisão da mensuração das pesquisas pelo Google Ads.


Outro fator importante é ter uma ferramenta de análise de dados, como o Google Analytics ou outra ferramenta de CRM (Customer Relationship Management), para fazer um acompanhamento mais detalhado sobre todos os dados dos usuários.


Passo 3: Ative seus dados com automação


Com a restrição de coleta de dados dos usuários por parte das empresas, está cada vez mais difícil encontrar informações dos usuários. Por isso, contar com uma estratégia de automação pode não só poupar o seu tempo, como também melhorar a otimização das campanhas, já que a máquina passará por um processo de aprendizagem.


Apesar do  marketing digital estar mais desafiador, temos um lado bom: agora as empresas podem se preocupar mais em criar um relacionamento e gerar engajamento com os seus clientes. Além disso, a privacidade de dados dos usuários é uma evolução importante para a segurança no meio digital.


Gostou deste conteúdo? Compartilhe-o com os seus contatos e se inscreva na nossa newsletter para receber mais dicas e novidades!




  • Artigos